sexta-feira, 17 de julho de 2009

Meus Causos


Meus Causos

Eu nasci nesse sertão
E nele quero morrer
Pois na minha certidão
Aqui eu vim nascer

Conheço cada palmo de serra
Cada caminho sem saída
E sobre essa terra
Conheço a lição sofrida

Conheço quando vai chover
Pois todo sertanista
Sabe reconhecer
Quando a barra está a vista

Já percorri cada estrada
Por onde andou lampião
Eita caatinga fechada
Com o calor arribando do chão

Nas noites enluaradas
Eu contava as estrelas
Imaginando as amadas
E o prazer de tê-las

Nas minhas caçadas
Matei onça e assombração
Dentro da mata fechada
Entregando a Deus minha proteção

Aprendi que nessa vida
Uma “estória” posso aumentar
Basta torná-la repetida
Mas nunca exagerar

Fernando Marques

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pixinguinha, Chico Buarque, Noel Rosa, Luís Fernando Veríssimo, Tom Jobim, Vinícius de Moraes....

Loading...