sexta-feira, 23 de julho de 2010

Meu Ar: A Vida


Meu Ar: A Vida

Tenho que inspirar, pra que assim eu possa expirar tudo que recebo de vida e da vida do mundo, eu, por existir, tenho que devolver o mesmo ar que outrora respirei, pois ele é o mesmo que devolvo com parte de mim, assim componho as partículas invisíveis que circulam o mundo e o tornam tão vivente e real. Acredito, de forma um tanto trivial, que o mundo dá voltas, como também acredito que durante essas voltas eu não estarei no mesmo lugar.

Amo tudo que conquistei, pois o que foi oferecido nem sempre foi o que precisei.

Cresço e crescerei movido com a pulsação que inspira e expira meus pulmões, pois o mesmo ar que respiro já se fez e se faz combustível de outros corações.


Fernando Marques

terça-feira, 20 de julho de 2010

Venha Sempre!


Venha Sempre!

Quando a chuva passar
E um novo raio de sol nascer
Os pássaros novamente vão cantar
Pra tua beleza enaltecer

Quando a chuva passar
E a terra umedecer
Uma nova semente vai germinar
Pra uma nova árvore nascer

Quando a chuva passar
E o horizonte se abrir
Os meus olhos poderão enxergar
Você novamente sorrir

Quando a chuva passar
E o céu ficar azulado
Verei as nuvens desenhar
Teu corpo por mim delineado

Quando a chuva passar
Esperarei novamente ela cair
Assim você não irá falar
Que já é hora de se despedir

Fernando Marques

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Obrigado!


Obrigado!

Às vezes, muitas vezes...
Esqueço de agradecer...
De curvar meus joelhos...
E seu filho saber ser

Mas quando estou sozinho
E começo a chorar
O Senhor na sua misericórdia
Sabe na dor me confortar

Muitas das vezes
Não me permiti na vida chorar
Tentei ser mais forte que tudo
Mas meu coração começava a empedrar

Foi necessário sentir
A tristeza do coração
E começar a entender
Que sou parte emoção

“E ainda se vier, noites traiçoeiras
Se a cruz pesada for, Cristo estará contigo
O mundo pode até
Fazer você chorar
Mas Deus te quer sorrindo”


Precisei escutar parte dessa música
E desabar no choro como criança
Mais uma madrugada sem dormir
Mas um outro dia se chama: esperança

Tento ser uma fortaleza
Que eu mesmo vivo a sabotar
Sempre fingindo um sorriso
Quando o que mais quero é chorar

“Deus está aqui neste momento
Sua presença é real em meu viver
Entregue sua vida e seus problemas
Fale com Deus, Ele vai ajudar você.”


Fernando Marques e Fragmentos da música Noites Traiçoeiras

Belo e padre Marcelo Rossi Noites Traiçoeiras

domingo, 18 de julho de 2010

Forever...


Forever...

Amores vêm...
Amores vão...
Mas sempre tem alguém
Que se eterniza em nosso coração

Fernando Marques

domingo, 11 de julho de 2010

Minha Doce Flor


Minha doce flor

Eu queria no ultimo minuto antes de morrer
Agradecer-te por me fazer sorrir
E do prazer do teu lado viver
Pra assim poder partir

Recordarei do amor
Que plantei por sua vida
E dos campos de flor
Que plantei pra ti querida

Abraçarei nossos filhos
Num abraço profundo
Aplumando-os nos trilhos
Fortalecendo-os no mundo

Abraçarei você
Minha doce companhia
E antes de morrer
Deixo em ti minha alegria

E quando eu me for
Lembre-se do teu sorriso
Quando me deste aquela flor
Encontrei ali em você o que preciso

Deixo como herança
Tudo o que entendo de amor
Adubando na esperança
Formas de revê-la minha flor

Fernando Marques

Você Escolhe!


Você escolhe!

As pessoas esconderam o amor
E começaram a adotar a falsidade
Assim elas contribuem pro rancor
Existente na cidade

Nas costas um tapinha
Pelas costas difamação
E afirmam em nossa companhia
Você vive no meu coração (rs)

São as onças do “amigo”
Que nos aprisiona nesse ciclo
Sou de tudo isso inimigo
Por isso cada dia me reciclo

Até quando
Enfrento esse mundo deprimente?
Até quando continuar isso aceitando?
Um mundo doente!

O que você pede o mundo te dar?
O que ele te dar você aceita?
Até quando isso vai continuar?
Mude a receita!

Lembra do João teimoso?
Ele cai ele levanta
Será que ele não fica rancoroso?
Só se ele for uma anta!


É assim...
É reflexo em todo lugar
Coloque seu fim
Faça o mundo mudar!

Repita
Eu sou eu
Reflita
Isso agora morreu

Mude seu dia
Afaste-se das dependências
Construa sua alegria
Conclua as pendências

Enxergue no primeiro segundo do acordar
Que você ocupa lugar de destaque
Comece a sua vida mudar
Nunca fuja desse ataque

Não seja uma filho (a) da puta!
Defenda-se desse adjetivo
Faça sua lei na luta
Seja um ser ativo

Não batam palmas para mim
Bata palmas pra você
E se você não entende o mundo assim
Prazer em sofrer!

Fernando Marques

Asas da Paixão


Asas da paixão

Fui novamente pra beira do cais
Esperar a embarcação chegar
Pensava que nela vinha minha paz
Mas Ela esqueceu de me visitar

Retorno pela grande ladeira
Olhando para o chão
Resfriando a fogueira
Acessa no coração

Passeio pela praça
Observando o pelourinho
Um jeito sem graça
Vagando sozinho

Você não vem
E fico eternamente a esperar
Sozinho aqui sem ninguém
E você do lado de lá

Vem pra cá
Grito no vento
Pra que talvez possas escutar
A dor desse sofrimento

Não demora
Vem nas asas da paixão
Porque na vida não tem hora
Pra escutar o coração

Fernando Marques

Factível


Factível

Ela desconstituía sua fantasia
Com um toque de ingenuidade
E no olhar enuncia
Uma noite de felicidade

Sob o manto da noite escura
Sobre a areia e o mar
Desvendei a mais bela criatura
Que fez meu coração se encantar

Seus olhos brilhavam
Iluminando a escuridão
Enquanto as ondas beijavam
Seus pés com devoção

Tornamo-nos uma fogueira
Sobre a cama de areia
Deixando-te ainda mais faceira
Enquanto meu corpo te semeia

E nesse sonho que sonhei
Ao conhecer você
Foi o mais lindo que desejei
Um dia desses acontecer.


Fernando Marques

Se Eu Pudesse


Se eu pudesse

Ontem encontrei naquela rua
As lembranças de um passado
Lembranças de uma noite de lua
Que tinha você ao meu lado

Lembrei do teu sorriso
Do sabor da tua presença
Do beijo que me trazia o paraíso
Fruto de minha recompensa

Veio-me uma tristeza feliz
Daquelas que nos faz chorar sorrindo
Daquelas que suavizam a cicatriz
Quando elas vão se abrindo

Lembrei-me daquele cantor
Sentado num banco a cantar
Fingindo ele ser um ator
Enquanto nos fazia dançar

Lembrei das bobagens que te falei
Dos abraços que você me deu
Até lembrei dos passos que errei
E como o dia amanheceu

Ah se eu pudesse retornar
Pra aquela noite enluarada
E poder assim te falar
O quanto você será lembrada

Se eu pudesse...


Fernando Marques

Uma Noite Dessas


Uma noite dessas

Vou me acabar até o nascer do dia
Esquentado por essa fogueira
E no encontro da alegria
Vou ficando mesmo de bobeira

Uma viola canta
As meninas sentem
A música que encanta
Enquanto vaga-lumes se acendem

De longe vejo uma luz
Se aproximando...
Um brilho que seduz
Os olhos de quem ta amando

Comecei na escuridão bulir
Tentando desvendar as estrelas
Procurando me descontrair
Enquanto posso vê-las

Os bichos se agitavam
Na baile da imaginação
Enquanto as pessoas procuravam
Encontrar uma paixão

O chão começa a se abrir
Tragando nossa fogueira
E antes da noite dormir
Continuamos na bagaceira

Misturamos água com cachaça
Beijo com despedida
Vento com fumaça
Eita... noite sofrida

Fernando Marques

Ruínas


Ruínas

Repouso sobre a grama
No palácio imperial
Encontrando a mágica cama
Sob o céu celestial

Sopra o vento rasteiro
Viajante imortal
Refazendo aquele terreiro
Outrora casa colonial

Absorvendo essa natureza
Encontro-me num passado
Carregado de dor e tristeza
De um povo escravizado

Porões da agonia
Símbolo da riqueza
Extraído pela sangria
Da nobre realeza

Escuto passos no corredor...
Labirinto da imaginação
Rangidos de temor
Chibata da escravidão.


Fernando Marques

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Amar - Carlos Drummond de Andrade


NarTube - Watch Video

O Primeiro Amor


O primeiro amor

Lembro do primeiro amor
Que fez meu coração disparar
Lembro que por esse amor
Eu nem conseguia os olhos fechar

Eu virava a noite
Esperando um novo dia
Pra no colégio esse amor rever
E extravasar minha alegria

Lembro que até o copo em que ela bebia
Eu juntava minha boca à marca do seu batom
E nesse momento eu fechava os olhos
Sentindo o gosto que na boca dela dava o tom

Minhas mãos ficavam geladas
Enquanto o meu sangue fervia
Ela era a menina mais linda do mundo
Pois era isso que o meu olhar refletia


O cheiro dela perfumava o dia
E sempre me fazia voar
Atrás de um único fio de cabelo dela
Pra no meu caderno guardar

Mas veio a faca fria da desilusão
Esse amor dentro do meu coração separar
Eu de tanto apenas admira-la
Veio outro e a chamou pra namorar

Morri de tanto chorar
Nem no colégio eu queria ir
Mas um dia uma amiga me disse:
Logo você volta a sorrir


Depois de algum tempo
Um novo amor acolhi no coração
E tudo voltou a ser como antes
Até a antiga frustração

Amores...
Vivo eles a cada novo dia
E de cada um tiro uma lição
Que me sirva de mais valia

Hoje também entendo
Que a mulher mais linda do mundo
É aquela em que me dá amor
Com um olhar doce e profundo

Dou um conselho:
Viva e sonhe a cada novo amor
Mas acredite que você
Nunca esquecerá o seu primeiro amor

Fernando Marques

Como Explicar?


Como explicar?

Tenho como defeito
Amar demais
Mas no meu peito
Nunca encontro a paz

Sou a contradição
A cada momento
Sou a inexatidão
De cada sentimento

Sou o amor
Sou a alegria
Sou a dor
Como também a agonia

Dependo de um momento
Que não sei controlar
Pois o meu julgamento
Julga e julga-me por julgar

Carrego na infinitude
Do meu coração
"A maior virtude"
Que rouba minha razão

Um amor incondicional
Pelo o ato de amar
Mas que vira meu rival
Na hora do amor me abençoar

Fernando Marques

Semente da Dor


Semente da dor

Caí uma tempestade
Vertida do meu coração
Tampando a claridade
Da minha visão

Vêm os trovões
Anunciar minha dor
Ecoando as emoções
Da falta de amor

A terra me envolve
Enraizando-me nesse solo
Pois a terra nunca devolve
Quem procura nela colo

A tempestade
Faz germinar
A infelicidade
De quem vive a chorar

Tempestades que fazem brotar
A dor como semente
Por mais que ela não demore passar
No coração da gente

Fernando Marques

Crescer Dói


Crescer dói

Porque você não falou
Que tudo não passava de uma brincadeira?
Hoje a única coisa que restou
Foi uma ausência traiçoeira

Sem avisar
Você do meu lado se mudou
Sem imaginar
Que minha paz também levou

Ainda não consigo entender
Onde foi que errei
Pois muito amei você
Tanto que nem sei

Perdi a vontade de sonhar
Com tudo que é belo
Pois tenho medo de acordar
E meu sonho se tornar meu flagelo

Hoje o sentimento
Que dei a você
É o maior tormento
Que vem me enfraquecer

Eu era uma pessoa forte
Tão forte que amei uma ilusão
Pois pensei que a sorte
Abençoaria meu coração

Uma leda ilusão
Foi pensar que em você
Batia o mesmo coração
Que batia no meu ser

Agora é sacudir a poeira
Dar a volta por cima
E amar uma pessoa verdadeira
E mudar essa rima

Fernando Marques

Tudo Tem o Seu Valor


Tudo tem o seu valor

Hoje lembrei
De uma antiga paixão
Até uma lágrima derramei
Lembranças do meu coração

Foi melhor assim...
Pois agora senti
Que nessa lágrima ponho um fim
A uma paixão que vivi

Melhor que me esconder
Subterfugindo um passado
Assim me permito crescer
Com um presente elucidado

O que passou... Passou...
Só não podemos negar
Que tudo o que em nós ficou
Serve pra nos aprimorar

Seja um amor...
Ou uma perdida ilusão
Tudo tem o seu valor
Que nos serve de lição

Fernando Marques

Contratempos Passageiros


Contratempos passageiros

Às vezes vem a tristeza
Desviar meu olhar
E esconder a beleza
Do brilho do luar

Mas devo me lembrar
Que quem está triste sou eu
E entender que a vida está a ecoar
Na natureza que Deus nos deu

A beleza...
É a contradição
De toda a tristeza
Que tapa a nossa visão

Mas a dor da tristeza
Nunca é mais forte
Do que a pureza
Inversa da morte

Fernando Marques

Meu Caminho


Meu caminho

Eu me entrego
Ao teu amor
E me emprego
Como teu protetor

A minha vida
Hoje te presenteio
Pois na minha estrada querida
O teu amor eu semeio

Cada vez mais
Dia após dia
Eu procuro a minha paz
Na tua companhia

Teu amor:
Meu caminho
Obrigado Senhor
Não estou mais sozinho

Fernando Marques

A medida do que se Vê


A medida do que se vê

Veja como é desmedida a vida
Uma hora tudo está perfeito
Numa outra
Tudo está desfeito

Uma hora
Conseguimos perceber
Que o amor existe
Outras nem vendo pra crer

Fernando Marques

Escondendo-me em Mim


Escondendo-me em mim

Vejo as luzes da cidade acessas
E me escondo na escuridão do meu viver
As pessoas passeiam lado a lado
E eu com medo de pro mundo aparecer

Fico aqui parado movimentando o meu medo
Enquanto lá fora as pessoas estão a sorrir
Mais uma vez fico me penitenciando
Conseguindo cada vez mais me diminuir

Tenho medo de amar
Pois tenho medo de compreender
Que durante toda a minha vida
O que eu mais quis foi o amor conhecer

Então me escondo
Cada vez mais e mais
E assim vou vivendo e me escondendo
Do medo que me torna incapaz

Fernando Marques

Triste Resultado


Triste resultado

Quantas vezes chorei
E você nem ligou?
Quantas lágrimas derramei...
O quanto você me pisou

Pensei que iria morrer
Longe dos teus abraços
Pensei que não conseguiria me refazer
De tanto que fiquei em pedaços

Hoje paro pra pensar
E desse tempo começo a sorrir
Consegui cada pedaço juntar
E de novo me unir

Já você
Ficou sem amor
E ficou sem teu insano prazer
De me causar dor

Hoje quando você sorrir
Você maquia teu rosto
Fingindo não fingir
Como é grande o teu desgosto

Esse é o resultado
De quem não sabe amar
De quem precisa ver o outro jogado
Pra seu egoísmo alimentar

Fernando Marques

Quando uma Fada Chora


Quando uma fada chora

No canteiro das rosas
Vi uma fadinha chorar
E as pétalas das rosas serviam
Para seu choro enxugar

As rosas se abriam
Pra exalarem seu aroma
Tentando assim disfarçar
A tristeza que a toma

A grama do canteiro
Escondia sua tristeza
Já o sol tentava
Mostrar a sua grandeza

Fadinha...
Porque você chora?
Pois você é a magia
Que nos encanta de hora em hora

Você nesse mundo representa
A fada do amor
Então por favor, me fale
O motivo dessa dor


Sou a fadinha
Que a todos traz a alegria
Mas as vezes me pergunto
Onde está a minha alegria?

Eu não reclamo
Apenas eu também quero
Um amor pra amar
E por isso me desespero

Encontrei nesse lugar
A quem vocês chamam de jardim
Um lugar pra pensar
O que também quero pra mim

Vivo espalhando o amor
Mas às vezes sinto também
Que preciso encontrar o meu
Pra me chamar de meu bem

Eu só quero
O que vivo a dá:
Uma alegria plena
Que nos (me) faça amar

E por aqui eu me calo
E também paro de chorar
Pois ainda tenho muito que refletir
Antes do meu choro secar.

Fernando Marques

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Nunca me Deixe Sozinho


Nunca me deixe sozinho

Nunca me deixe sozinho
Quando conquistar meu coração
Pois tem percalços de um caminho
Que nos deixam perdidos na solidão

Quando um sorriso meu eu te dedicar
Saiba a ele com outro sorriso agradecer
Pois nunca sabemos o que o destino irá reservar
A aqueles que com a ausência faz o outro sofrer


Fernando Marques

Duas Vezes Você - Bruno e Marrone

Pixinguinha, Chico Buarque, Noel Rosa, Luís Fernando Veríssimo, Tom Jobim, Vinícius de Moraes....

Loading...