sexta-feira, 23 de julho de 2010

Meu Ar: A Vida


Meu Ar: A Vida

Tenho que inspirar, pra que assim eu possa expirar tudo que recebo de vida e da vida do mundo, eu, por existir, tenho que devolver o mesmo ar que outrora respirei, pois ele é o mesmo que devolvo com parte de mim, assim componho as partículas invisíveis que circulam o mundo e o tornam tão vivente e real. Acredito, de forma um tanto trivial, que o mundo dá voltas, como também acredito que durante essas voltas eu não estarei no mesmo lugar.

Amo tudo que conquistei, pois o que foi oferecido nem sempre foi o que precisei.

Cresço e crescerei movido com a pulsação que inspira e expira meus pulmões, pois o mesmo ar que respiro já se fez e se faz combustível de outros corações.


Fernando Marques

terça-feira, 20 de julho de 2010

Venha Sempre!


Venha Sempre!

Quando a chuva passar
E um novo raio de sol nascer
Os pássaros novamente vão cantar
Pra tua beleza enaltecer

Quando a chuva passar
E a terra umedecer
Uma nova semente vai germinar
Pra uma nova árvore nascer

Quando a chuva passar
E o horizonte se abrir
Os meus olhos poderão enxergar
Você novamente sorrir

Quando a chuva passar
E o céu ficar azulado
Verei as nuvens desenhar
Teu corpo por mim delineado

Quando a chuva passar
Esperarei novamente ela cair
Assim você não irá falar
Que já é hora de se despedir

Fernando Marques

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Obrigado!


Obrigado!

Às vezes, muitas vezes...
Esqueço de agradecer...
De curvar meus joelhos...
E seu filho saber ser

Mas quando estou sozinho
E começo a chorar
O Senhor na sua misericórdia
Sabe na dor me confortar

Muitas das vezes
Não me permiti na vida chorar
Tentei ser mais forte que tudo
Mas meu coração começava a empedrar

Foi necessário sentir
A tristeza do coração
E começar a entender
Que sou parte emoção

“E ainda se vier, noites traiçoeiras
Se a cruz pesada for, Cristo estará contigo
O mundo pode até
Fazer você chorar
Mas Deus te quer sorrindo”


Precisei escutar parte dessa música
E desabar no choro como criança
Mais uma madrugada sem dormir
Mas um outro dia se chama: esperança

Tento ser uma fortaleza
Que eu mesmo vivo a sabotar
Sempre fingindo um sorriso
Quando o que mais quero é chorar

“Deus está aqui neste momento
Sua presença é real em meu viver
Entregue sua vida e seus problemas
Fale com Deus, Ele vai ajudar você.”


Fernando Marques e Fragmentos da música Noites Traiçoeiras

Belo e padre Marcelo Rossi Noites Traiçoeiras

domingo, 18 de julho de 2010

Forever...


Forever...

Amores vêm...
Amores vão...
Mas sempre tem alguém
Que se eterniza em nosso coração

Fernando Marques

domingo, 11 de julho de 2010

Minha Doce Flor


Minha doce flor

Eu queria no ultimo minuto antes de morrer
Agradecer-te por me fazer sorrir
E do prazer do teu lado viver
Pra assim poder partir

Recordarei do amor
Que plantei por sua vida
E dos campos de flor
Que plantei pra ti querida

Abraçarei nossos filhos
Num abraço profundo
Aplumando-os nos trilhos
Fortalecendo-os no mundo

Abraçarei você
Minha doce companhia
E antes de morrer
Deixo em ti minha alegria

E quando eu me for
Lembre-se do teu sorriso
Quando me deste aquela flor
Encontrei ali em você o que preciso

Deixo como herança
Tudo o que entendo de amor
Adubando na esperança
Formas de revê-la minha flor

Fernando Marques

Você Escolhe!


Você escolhe!

As pessoas esconderam o amor
E começaram a adotar a falsidade
Assim elas contribuem pro rancor
Existente na cidade

Nas costas um tapinha
Pelas costas difamação
E afirmam em nossa companhia
Você vive no meu coração (rs)

São as onças do “amigo”
Que nos aprisiona nesse ciclo
Sou de tudo isso inimigo
Por isso cada dia me reciclo

Até quando
Enfrento esse mundo deprimente?
Até quando continuar isso aceitando?
Um mundo doente!

O que você pede o mundo te dar?
O que ele te dar você aceita?
Até quando isso vai continuar?
Mude a receita!

Lembra do João teimoso?
Ele cai ele levanta
Será que ele não fica rancoroso?
Só se ele for uma anta!


É assim...
É reflexo em todo lugar
Coloque seu fim
Faça o mundo mudar!

Repita
Eu sou eu
Reflita
Isso agora morreu

Mude seu dia
Afaste-se das dependências
Construa sua alegria
Conclua as pendências

Enxergue no primeiro segundo do acordar
Que você ocupa lugar de destaque
Comece a sua vida mudar
Nunca fuja desse ataque

Não seja uma filho (a) da puta!
Defenda-se desse adjetivo
Faça sua lei na luta
Seja um ser ativo

Não batam palmas para mim
Bata palmas pra você
E se você não entende o mundo assim
Prazer em sofrer!

Fernando Marques

Asas da Paixão


Asas da paixão

Fui novamente pra beira do cais
Esperar a embarcação chegar
Pensava que nela vinha minha paz
Mas Ela esqueceu de me visitar

Retorno pela grande ladeira
Olhando para o chão
Resfriando a fogueira
Acessa no coração

Passeio pela praça
Observando o pelourinho
Um jeito sem graça
Vagando sozinho

Você não vem
E fico eternamente a esperar
Sozinho aqui sem ninguém
E você do lado de lá

Vem pra cá
Grito no vento
Pra que talvez possas escutar
A dor desse sofrimento

Não demora
Vem nas asas da paixão
Porque na vida não tem hora
Pra escutar o coração

Fernando Marques

Factível


Factível

Ela desconstituía sua fantasia
Com um toque de ingenuidade
E no olhar enuncia
Uma noite de felicidade

Sob o manto da noite escura
Sobre a areia e o mar
Desvendei a mais bela criatura
Que fez meu coração se encantar

Seus olhos brilhavam
Iluminando a escuridão
Enquanto as ondas beijavam
Seus pés com devoção

Tornamo-nos uma fogueira
Sobre a cama de areia
Deixando-te ainda mais faceira
Enquanto meu corpo te semeia

E nesse sonho que sonhei
Ao conhecer você
Foi o mais lindo que desejei
Um dia desses acontecer.


Fernando Marques

Se Eu Pudesse


Se eu pudesse

Ontem encontrei naquela rua
As lembranças de um passado
Lembranças de uma noite de lua
Que tinha você ao meu lado

Lembrei do teu sorriso
Do sabor da tua presença
Do beijo que me trazia o paraíso
Fruto de minha recompensa

Veio-me uma tristeza feliz
Daquelas que nos faz chorar sorrindo
Daquelas que suavizam a cicatriz
Quando elas vão se abrindo

Lembrei-me daquele cantor
Sentado num banco a cantar
Fingindo ele ser um ator
Enquanto nos fazia dançar

Lembrei das bobagens que te falei
Dos abraços que você me deu
Até lembrei dos passos que errei
E como o dia amanheceu

Ah se eu pudesse retornar
Pra aquela noite enluarada
E poder assim te falar
O quanto você será lembrada

Se eu pudesse...


Fernando Marques

Uma Noite Dessas


Uma noite dessas

Vou me acabar até o nascer do dia
Esquentado por essa fogueira
E no encontro da alegria
Vou ficando mesmo de bobeira

Uma viola canta
As meninas sentem
A música que encanta
Enquanto vaga-lumes se acendem

De longe vejo uma luz
Se aproximando...
Um brilho que seduz
Os olhos de quem ta amando

Comecei na escuridão bulir
Tentando desvendar as estrelas
Procurando me descontrair
Enquanto posso vê-las

Os bichos se agitavam
Na baile da imaginação
Enquanto as pessoas procuravam
Encontrar uma paixão

O chão começa a se abrir
Tragando nossa fogueira
E antes da noite dormir
Continuamos na bagaceira

Misturamos água com cachaça
Beijo com despedida
Vento com fumaça
Eita... noite sofrida

Fernando Marques

Ruínas


Ruínas

Repouso sobre a grama
No palácio imperial
Encontrando a mágica cama
Sob o céu celestial

Sopra o vento rasteiro
Viajante imortal
Refazendo aquele terreiro
Outrora casa colonial

Absorvendo essa natureza
Encontro-me num passado
Carregado de dor e tristeza
De um povo escravizado

Porões da agonia
Símbolo da riqueza
Extraído pela sangria
Da nobre realeza

Escuto passos no corredor...
Labirinto da imaginação
Rangidos de temor
Chibata da escravidão.


Fernando Marques

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Amar - Carlos Drummond de Andrade


NarTube - Watch Video

O Primeiro Amor


O primeiro amor

Lembro do primeiro amor
Que fez meu coração disparar
Lembro que por esse amor
Eu nem conseguia os olhos fechar

Eu virava a noite
Esperando um novo dia
Pra no colégio esse amor rever
E extravasar minha alegria

Lembro que até o copo em que ela bebia
Eu juntava minha boca à marca do seu batom
E nesse momento eu fechava os olhos
Sentindo o gosto que na boca dela dava o tom

Minhas mãos ficavam geladas
Enquanto o meu sangue fervia
Ela era a menina mais linda do mundo
Pois era isso que o meu olhar refletia


O cheiro dela perfumava o dia
E sempre me fazia voar
Atrás de um único fio de cabelo dela
Pra no meu caderno guardar

Mas veio a faca fria da desilusão
Esse amor dentro do meu coração separar
Eu de tanto apenas admira-la
Veio outro e a chamou pra namorar

Morri de tanto chorar
Nem no colégio eu queria ir
Mas um dia uma amiga me disse:
Logo você volta a sorrir


Depois de algum tempo
Um novo amor acolhi no coração
E tudo voltou a ser como antes
Até a antiga frustração

Amores...
Vivo eles a cada novo dia
E de cada um tiro uma lição
Que me sirva de mais valia

Hoje também entendo
Que a mulher mais linda do mundo
É aquela em que me dá amor
Com um olhar doce e profundo

Dou um conselho:
Viva e sonhe a cada novo amor
Mas acredite que você
Nunca esquecerá o seu primeiro amor

Fernando Marques

Como Explicar?


Como explicar?

Tenho como defeito
Amar demais
Mas no meu peito
Nunca encontro a paz

Sou a contradição
A cada momento
Sou a inexatidão
De cada sentimento

Sou o amor
Sou a alegria
Sou a dor
Como também a agonia

Dependo de um momento
Que não sei controlar
Pois o meu julgamento
Julga e julga-me por julgar

Carrego na infinitude
Do meu coração
"A maior virtude"
Que rouba minha razão

Um amor incondicional
Pelo o ato de amar
Mas que vira meu rival
Na hora do amor me abençoar

Fernando Marques

Semente da Dor


Semente da dor

Caí uma tempestade
Vertida do meu coração
Tampando a claridade
Da minha visão

Vêm os trovões
Anunciar minha dor
Ecoando as emoções
Da falta de amor

A terra me envolve
Enraizando-me nesse solo
Pois a terra nunca devolve
Quem procura nela colo

A tempestade
Faz germinar
A infelicidade
De quem vive a chorar

Tempestades que fazem brotar
A dor como semente
Por mais que ela não demore passar
No coração da gente

Fernando Marques

Crescer Dói


Crescer dói

Porque você não falou
Que tudo não passava de uma brincadeira?
Hoje a única coisa que restou
Foi uma ausência traiçoeira

Sem avisar
Você do meu lado se mudou
Sem imaginar
Que minha paz também levou

Ainda não consigo entender
Onde foi que errei
Pois muito amei você
Tanto que nem sei

Perdi a vontade de sonhar
Com tudo que é belo
Pois tenho medo de acordar
E meu sonho se tornar meu flagelo

Hoje o sentimento
Que dei a você
É o maior tormento
Que vem me enfraquecer

Eu era uma pessoa forte
Tão forte que amei uma ilusão
Pois pensei que a sorte
Abençoaria meu coração

Uma leda ilusão
Foi pensar que em você
Batia o mesmo coração
Que batia no meu ser

Agora é sacudir a poeira
Dar a volta por cima
E amar uma pessoa verdadeira
E mudar essa rima

Fernando Marques

Tudo Tem o Seu Valor


Tudo tem o seu valor

Hoje lembrei
De uma antiga paixão
Até uma lágrima derramei
Lembranças do meu coração

Foi melhor assim...
Pois agora senti
Que nessa lágrima ponho um fim
A uma paixão que vivi

Melhor que me esconder
Subterfugindo um passado
Assim me permito crescer
Com um presente elucidado

O que passou... Passou...
Só não podemos negar
Que tudo o que em nós ficou
Serve pra nos aprimorar

Seja um amor...
Ou uma perdida ilusão
Tudo tem o seu valor
Que nos serve de lição

Fernando Marques

Contratempos Passageiros


Contratempos passageiros

Às vezes vem a tristeza
Desviar meu olhar
E esconder a beleza
Do brilho do luar

Mas devo me lembrar
Que quem está triste sou eu
E entender que a vida está a ecoar
Na natureza que Deus nos deu

A beleza...
É a contradição
De toda a tristeza
Que tapa a nossa visão

Mas a dor da tristeza
Nunca é mais forte
Do que a pureza
Inversa da morte

Fernando Marques

Meu Caminho


Meu caminho

Eu me entrego
Ao teu amor
E me emprego
Como teu protetor

A minha vida
Hoje te presenteio
Pois na minha estrada querida
O teu amor eu semeio

Cada vez mais
Dia após dia
Eu procuro a minha paz
Na tua companhia

Teu amor:
Meu caminho
Obrigado Senhor
Não estou mais sozinho

Fernando Marques

A medida do que se Vê


A medida do que se vê

Veja como é desmedida a vida
Uma hora tudo está perfeito
Numa outra
Tudo está desfeito

Uma hora
Conseguimos perceber
Que o amor existe
Outras nem vendo pra crer

Fernando Marques

Escondendo-me em Mim


Escondendo-me em mim

Vejo as luzes da cidade acessas
E me escondo na escuridão do meu viver
As pessoas passeiam lado a lado
E eu com medo de pro mundo aparecer

Fico aqui parado movimentando o meu medo
Enquanto lá fora as pessoas estão a sorrir
Mais uma vez fico me penitenciando
Conseguindo cada vez mais me diminuir

Tenho medo de amar
Pois tenho medo de compreender
Que durante toda a minha vida
O que eu mais quis foi o amor conhecer

Então me escondo
Cada vez mais e mais
E assim vou vivendo e me escondendo
Do medo que me torna incapaz

Fernando Marques

Triste Resultado


Triste resultado

Quantas vezes chorei
E você nem ligou?
Quantas lágrimas derramei...
O quanto você me pisou

Pensei que iria morrer
Longe dos teus abraços
Pensei que não conseguiria me refazer
De tanto que fiquei em pedaços

Hoje paro pra pensar
E desse tempo começo a sorrir
Consegui cada pedaço juntar
E de novo me unir

Já você
Ficou sem amor
E ficou sem teu insano prazer
De me causar dor

Hoje quando você sorrir
Você maquia teu rosto
Fingindo não fingir
Como é grande o teu desgosto

Esse é o resultado
De quem não sabe amar
De quem precisa ver o outro jogado
Pra seu egoísmo alimentar

Fernando Marques

Quando uma Fada Chora


Quando uma fada chora

No canteiro das rosas
Vi uma fadinha chorar
E as pétalas das rosas serviam
Para seu choro enxugar

As rosas se abriam
Pra exalarem seu aroma
Tentando assim disfarçar
A tristeza que a toma

A grama do canteiro
Escondia sua tristeza
Já o sol tentava
Mostrar a sua grandeza

Fadinha...
Porque você chora?
Pois você é a magia
Que nos encanta de hora em hora

Você nesse mundo representa
A fada do amor
Então por favor, me fale
O motivo dessa dor


Sou a fadinha
Que a todos traz a alegria
Mas as vezes me pergunto
Onde está a minha alegria?

Eu não reclamo
Apenas eu também quero
Um amor pra amar
E por isso me desespero

Encontrei nesse lugar
A quem vocês chamam de jardim
Um lugar pra pensar
O que também quero pra mim

Vivo espalhando o amor
Mas às vezes sinto também
Que preciso encontrar o meu
Pra me chamar de meu bem

Eu só quero
O que vivo a dá:
Uma alegria plena
Que nos (me) faça amar

E por aqui eu me calo
E também paro de chorar
Pois ainda tenho muito que refletir
Antes do meu choro secar.

Fernando Marques

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Nunca me Deixe Sozinho


Nunca me deixe sozinho

Nunca me deixe sozinho
Quando conquistar meu coração
Pois tem percalços de um caminho
Que nos deixam perdidos na solidão

Quando um sorriso meu eu te dedicar
Saiba a ele com outro sorriso agradecer
Pois nunca sabemos o que o destino irá reservar
A aqueles que com a ausência faz o outro sofrer


Fernando Marques

Duas Vezes Você - Bruno e Marrone

sábado, 19 de junho de 2010

Moça Bonita


Moça Bonita

Moça bonita
Eu quero te ver
Boiando ao amanhecer

Moça bonita quero te dizer
Que o meu coração eu doei a você

Moça bonita
Te dou uma flor
Saudando o dia que raiou

Moça bonita
Meu sorriso mudou
Porque o meu coração
Ele se apaixonou

Fernando Marques

terça-feira, 8 de junho de 2010

Um Simples Gesto


Um simples gesto

Um simples gesto...
Pode um dia se transformar
Numa iniciativa
Que nos faça sonhar

Um simples gesto...
Pode um dia ficar
Dentro de um coração
E nele se perpetuar

Um simples gesto...
Um simples olhar
Quando são siceros
Conseguem nos acalmar

Um simples gesto...
Pode modificar
A vida de uma pessoa
Que só deseja amar

Um simples gesto...
Um aperto de mão
Quando verdadeiro
Afaga até o coração

Um simples gesto...
Nos faz acreditar
Que o mundo é bonito
E vale a pena nele está

Um simples gesto...
Na sua verdade
Nos faz sorrir por dentro
Pela força da sua sinceridade

Fernando Marques

Escute


Escute

Tentei te falar
Voce não quis ouvir
Que longe do teu olhar
Eu só me vejo diminuir

Você se esquece
Que você sou eu
Vê logo se aparece
O meu amor ainda é seu

Nunca deixe de escutar
Os desígnos do seu coração
Pois mais que a razão venha te falar
Que não mereço mais tua atenção

Enxergue dentro de você
Os motivos que te fazem sonhar
E sinto o tempo que faz crescer
O nosso triste e doloroso penar

Pare de escutar
A nossa insensatez
Se muitos preferem chorar
Não faremos desse momento nossa vez

Volta pra me devolver
O brilho do teu olhar
Pois eu sem você
Vivo a naufragar

Sabe meu amor
Se todo o meu pecado
Te arrancou essa dor
Escute esse recado:

Hoje eu vivo
Longe do prazer
Daquele olhar refletivo
Que unia eu o mar e você

Fernando Marques

A Cada Uma eu Agradeço


A cada uma eu agradeço

Eu queria muito saber
Porque as estrelas caem da constelação
Já que precisamos delas
Pra nos iluminarmos na escuridão

Cada estrelinha
Com sua madrinha lua
Tem sua contribuição
Pra iluminar minha rua

Pena as estrelas cadentes
Deixarem de existir
Mas sei que cada uma passa o seu valor
Antes do céu se despedir

Mesmo após a sua morte
Elas ainda deixam no caminho sua luz
E devagarzinho chegam a nós
E na sua última despedida ainda nos seduz

Viva cada estrela
Que meu olhar encantou
Viva cada estrela cadente
Que meu coração alumiou

Fernando Marques

Conceito de uma Solidão


Conceito de uma solidão

Me acalme...
Me dê todo o seu amor
Me ajude
A enfrentar toda minha dor

Carrego no peito
O conceito da solidão
Que me prende no meu leito
Que escurece minha visão

Me ajude
A novamente sonhar
Pois não tenho a atitude
De eu mesmo me ajudar

Todo dia ao amanhecer
Me pergunto: porque levantar?
E quando chega o anoitecer:
Será que ainda vou sonhar?

Essa é a interrogação
Que me acompanha dia a dia
Vertida como lição
Pela falta de alegria

Conceito...
De uma solidão
Que não tem nem respeito
Com meu sonhador coração

Imerso nessa solidão
Nem mesmo consigo chorar
Pois meu coração
Não tem mais lágrimas pra jorrar

Fernando Marques

A felicidade é Visível


A felicidade é visível

O invisível existe
Basta você acreditar
Que o céu ou o inferno
Está a te esperar

Sinta o mundo girando
Sem ele você não é nada
Nele você apenas é
Uma pessoa desinformada

Entenda que a ciência
Confronta a religião
Entenda que nem mesmo você
Entende o seu irmão

Abra os olhos
Pra aquilo que não consegues ver
Escute a sua intuição
E o que ela quer dizer

Peça todos os dias
Paz, saúde e amor
Mas nunca se esqueça
De pedir ao Criador

A invisibilidade
Do que não consegues ver
Apenas existe
Pra nos permitir crescer

Pessoas nascem outras morrem
Sempre foi assim e sempre será
E muitos não conseguem perceber
Que a sua hora vai chegar

O amor
Também é invisível
Mas podemos senti-lo
Basta a ele ser sensível

Sempre estamos
A um passo da eternidade
E muitos deixam escapar
A visível felicidade

Fernando Marques

Sagrado Manto


Sagrado Manto

Olho pro céu estremecido
Com a chuva que cai
E vejo sobre a terra
A vida que a chuva extrai

Tudo que era feio e seco
A chuva dar uma nova vida
A semente que foi plantada
Já não está mais adormecida

As rosas desabrocham
Aromatizando a cidade
Os passarinhos gorjeiam
Cantos de felicidade

Continua chovendo
E em cada canto
A vida vai surgindo
Sob esse sagrado manto

Agora é a minha vez
De nela me abençoar
Pois existem poucos prazeres
Que fazem à vida germinar

Fernando Marques

Pretensa Comunhão


Pretensa comunhão

Invada meu coração
Roube-me cada sentido
Conduza-me na tua direção
Mostre-me um mundo colorido

Mostre-me o amor
Que só conheci lendo
Aqueça-me com o teu calor
A cada amanhecer que te desvendo

Mostre-me dentro de você
O lugar...
Que de tanto prazer
Irei me perpetuar

Faça-me esquecer do mundo
Fazendo-me reconhecer
Que não existe nada mais profundo
Do que sinto por você

Seja a dona do meu coração
O meu prazer de viver
Seja toda e qualquer direção
Que me faça crescer

Guarde o lugar
Dentro do teu coração
Faça da minha pele o par
Da nossa comunhão

Fernando Marques

Antes de Tudo


Antes de tudo

Antes de aprender a desenhar
Eu já sonhava
Antes de aprender a soletrar
Eu já falava

Antes de aprender a levantar
Tive de aprender a cair
Antes de começar a sonhar
Tive que o mundo colorir

Antes de amar
Eu já antecipava o amor
Antes de chorar
Eu já temia a dor

Antes de dormir
Aprendi o prazer de levantar
Antes de me ferir
Aprendi minhas feridas cicatrizar

Antes da palavra abandono
Eu já sabia caminhar sozinho
Antes de ser o meu próprio dono
Aprendi que nasci sozinho

Antes de tudo e de mim mesmo
Eu ficava a pensar
O que seria andar a esmo
Sem ter alguém pra me acompanhar?

Fernando Marques

Folhas Caídas


Folhas caídas

Vejo um vento rasteiro
Levantando as folhas que dormem sobre o chão
Dando a elas uma nova vida
Pois nem as folhas caídas deixam de existir na Criação

Um bailar de encantar que vem nos demonstrar
Que nem mesmo as folhas que despencam
Perdem o poder da sedução

Fernando Marques

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Vontade Louca – Louca Vontade


Vontade louca – louca vontade

Vontade de beijar
Essa tua boca
E te amar
De forma louca

Emaranhar-me nos teus cabelos
Fazer tua pele se arrepiar
Levantando todos os teus pêlos
Até te fazer ao céu viajar

E depois desse ritual
Trazer-te pro meu peito
Pois depois desse ato conjugal
Já nos abraça o nosso leito

Fernando Marques

Aprendendo


Aprendendo

No meu tempo de escola
Eu só ficava a moldar
De que forma seria a cola
Que me fizesse passar

Eu só vivia a imaginar
O formato da calcinha
Quando via passar
A menina da carteira vizinha

Eu olhava minhas professoras
Com olhar discente
Mas eram aterradoras
Minhas visões indecentes

Sempre no recreio
Eu ia brechar
Sem receio
Minha vizinha se “maquiar”

Tinha na parede um buraquinho
Que engenhosamente criei
De lá eu voltava fraquinho
Quanto lá eu suei...

Tinha uma certa professora
Motivo da minha constante fraqueza
Ela era avassaladora
Com sua voluptuosa beleza

Ela me lembrava
Da égua da fazenda
Que eu andava
Como a professora era estupenda!...

Eu tinha visão de raio x
Essa professora eu despia
Ela era o chamariz
Pras melodias que no banheiro vertia

Essa é apenas uma leitura
Da minha adolescência
Onde essa criatura
Era pura inocência

Fernando Marques

Feridas que não se Abrem


Feridas que não se abrem

Hoje eu sentei pra chorar
Pra pensar nas feridas da vida
Tentei o meu caminho desenhar
Até mesmo o sorriso da minha partida

Fiquei olhando pro mar
Escurecido pela minha visão
Tentei cada lágrima decifrar
Que saia do meu coração

Pensei em cada poesia
Criada pela palavra dor
E também em cada alegria
Abençoada pelo amor

Fiz de todas as flores
O motivo da minha inspiração
E conheci todos os dissabores
Do meu ladino coração

Eu contava todas as estrelas
Que me iluminavam na escuridão
E juro que sempre ao vê-las
Eu sentia que estava sob proteção

Lembrei também da luz do dia
Que escurecia minha alma
E lembrava da frase que o acidente anuncia:
Vá com calma!

Dentro do meu ser
Criei o monstro e o herói
Independente de quem vencer
Sei que sempre uma nova batalha se constrói

Dos amantes...
Eu era o mais encantado
Mas em delírios flutuantes
Fui o mais amaldiçoado

Muitas vezes eu cheguei a pensar
Que eu era um ser imortal
Por isso com a vida eu queria brincar
E sempre acabava muito mal

Cativei poucos amigos
Mas todos agindo com sinceridade
E criei pro meu prazer inimigos
Onde eu despejava minha maldade

Inúmeras vezes fui o mar
Que empurrava as ondas sobre a areia
Por muitas vezes fui o vento a soprar
Que uma frágil embarcação desnorteia

Eu me achava uma fortaleza
A tudo eu sempre podia
Pois nunca tive a certeza
Do medo que a alma esfria

Lembrei que quando eu ficava triste
Eu procurava na morte me abraçar
Mas o destino sempre insiste
Em querer nos contrariar

Sou uma pessoa solitária
Que nunca se entregou ao coração
Agindo de forma autoritária
Rompendo os limites da razão

Às vezes consigo sorrir
Mesmo sem sentido
Melhor que sentir
Algum desejo ressentido

Uma infindável batalha
Que consiste em me defender
Do fio doce da navalha
Que quer me enlouquecer

Abraço os braços pro céu dos meus problemas
E com fé faço um pedido:
Que todos os meus dilemas
Encontrem cada um o seu sentido

O que fazer?
O que pensar?
Viver!!!
Ou outra vida procurar?

Hoje estou aqui sozinho
Parado e chorando
Refazendo cada caminho
E o tempo mais ainda passando

Olho pro céu e escuto
O que a terra quer me dizer
Ou eu luto
Ou ela vai me comer

Eu queria poder deletar
Da minha memória
O que a borracha não consegue apagar
E escrever uma nova história

Vejo um barquinho
Bem longe no horizonte do mar
Ele também está sozinho
Mas tem alguém pra o comandar

Já eu...
Não tenho nem a mim mesmo
Pois meu ser sempre viveu
Andando a esmo

Vou agora me levantar
pois a agonia da noite
Já vem me presentear
Com a solidão do açoite

Eu nem quero justificar
As lágrimas que aqui sentado derramei
Pois sei que outras ainda irão rolar
Como eu sei!...

Minha vida ainda não acabou
Ainda tenho muito que trilhar
Mas só uma frustração aqui ficou
Foram das feridas que aqui não quis falar


Fernando Marques

Não Existe Separação pros Corações que se Amam


Não existe separação pros corações que se amam

Não existe distância
Que me separe de você
E nenhum tipo de arrogância
Que me impeça de te ter

Nem mesmo o imenso mar
Com toda sua turbulência
Não vai me impedir de encontrar
O remédio pra tua ausência

Daqui do lugar que estou
Consigo segurar a mão
Que a minha segurou
E acalentou meu coração

Não há jeito
E nenhuma razão
Pra que eu não te traga pro meu peito
Pra escutar meu coração

Fernando Marques

Desejos da Alma Feminina


Desejos da alma feminina

Sou a tua mulher
Querendo-te incessantemente
Pois tudo o que meu ser mais quer
É conhecer teu inconsciente

Preciso ser mais mulher
Pra ter a delicadeza
De saber tudo que você quer
Com um toque de sutileza

Tocar em mim...
Beijar meus próprios seios
Pra meu prazer não ter fim
Independente dos meios

Preciso mais e mais
Ser a minha própria flor
Pra sentir que sou capaz
De encontrar em mim o teu despudor

Preciso me maquiar
Pra ficar pra você mais bela
E às vezes ainda fantasiar
Que sou tua esperada donzela

Tenho que pinta meus lábios
Arrumar o meu cabelo
E preparar todos os meus lábios
Pra arrepiassem pêlo a pêlo

Tenho que estrategicamente
Meu corpo inteirinho perfumar
Pois premeditadamente
Em ti meu cheiro irá ficar

Eu tenho a malícia
Que possui uma mulher
E minha carícia
Não é de uma qualquer

Fernando Marques

terça-feira, 25 de maio de 2010

A Hora Íntima - Vinicius de Moraes

Vinícius de Moraes - Para Viver Um GRANDE AMOR

Profusão


Profusão

Arranco do peito tudo que quero falar
Esqueço em pensar nas palavras que quero dizer
E agora sem pretensão e medo de chorar
Posso sentir a saudade e matá-la em você

Sou um ser livre pra sonhar
Muito mais que um insano sonhador
Pois nada nesse mundo pode alcançar
O sonho de quem sonha com amor

Hoje posso sair de dentro de mim
E fazer uma grande e barulhenta festa
Hoje eu posso ser a flor e o meu próprio jardim
Pois a alegria de viver se sobressai até por uma fresta

Posso escutar a canção mais linda e refinada
E chorar por uma saudade que a vida me permite matar
E se hoje aqui estou sonhando e vivendo a pessoa amada
Amanhã poderei está abraçando-a e fazendo-a me amar

Posso rasgar cada poesia que no passado escrevi
Pois de todas as fontes que me banharam de inspiração
Sei que em todas que mergulhei eu sobrevivi
Mas essa vem de forma tão infinita que me chamo profusão

Hoje eu sou o eixo imaginário do meu coração-mundo
E amanhã sei que serei tudo da vida o MAIS
Então esse é um desabafo sincero e profundo
De um homem pouco a pouco com seu sonho encontrando sua paz

Fernando Marques

Chega De Saudade - João Gilberto e Tom Jobim (Mestres da Bossa Nova)




Ainda continuo a pensar os motivos da maioria das pessoas enaltecerem músicas que nada nos trazem. Entendo que cada um tem a sua setença do "viver" e de "viver", mas também devo cada dia compreender o que mais me vale no meu VIVER.

Viva A Felicidade!


Viva a felicidade!

Expurgo a saudade
Que não desejo sentir
E abraço a felicidade
Que vem me cobrir

Saudade...
Um sentimento não esperado
Felicidade...
Um paraíso conquistado

Faço todos os dias
Uma oração a favor da felicidade
E pra não ter que conceituar agonias
Retiro do léxico a palavra saudade

Eu desejo e vivo
Vivendo a felicidade
Sem precisar de nenhum lenitivo
Para uma possível saudade

Só vou identificar
O que me faz sorrir
E tudo que pode me fazer chorar
Do coração mando partir

Fernando Marques

Premeditado Desejo


Premeditado desejo

Eu espero o amanhecer
Só pra te dar um bom dia
Pois nesse momento te ver
Torna-se minha maior alegria

Quando você se espreguiça
No teu ato de acordar
Você muito atiça
A minha vontade de te amar

E nesse ritual
Premeditado pelo desejo
Recomeço um ato carnal
Começando por um beijo

Indecentemente...
Te faço sorrir
E novamente
Te faço dormir

Fernando Marques

O Teu Sono


O teu sono

Eu adoro te ver dormindo
E com o teu sono ter prazer
Esperando o dia que vem vindo
Pra te saudar com o amanhecer

Fernando Marques

Escravo do Teu Amor


Escravo do teu amor

O teu amor...
Todo dia me escraviza
E o meu pudor
No conceito se minimiza

O teu olhar...
Que tanto me encanta
Me faz te profanar
E às vezes te ver como uma santa

O teu beijo...
Ah... A tua forma de beijar
Só aumenta o meu desejo
De em todas as vidas te amar

O teu abraço...
Faz eu me sentir uma criança
É como um laço
Do desejo com a esperança

A tua forma de se despir
Induz a minha nudez
E obrigado por consentir
Toda a minha timidez

E no diminutivo
Você chama meu nome
Com um único objetivo
Que tua forma de amar me dome

Obrigado mais uma vez
Por meu ser escravizar
Com tanta lucidez
Que não quero de ti me alforriar

Fernando Marques

Mensageiro Alado


Mensageiro alado

Pombo correio
Entregue essa carta ao meu amor
E diga que tenho muito receio
De perder o seu amor

Vá o mais rápido possível
Na sua janela pousar
E diga que o mundo é desprezível
Sem ela pra me amar

Vá sem demora
E diga aquela mulher
Que a toda hora
É ela que meu coração quer

Vá...
E sussurre no ouvido dela
Que não há
Ninguém igual a ela

Peço pra você
Todas essas palavras falar
Pois ela pode não querer ler
E ainda minha carta rasgar

Fernando Marques

Tudo Que Eu Precisava Saber


Tudo que eu precisava saber

Está tudo certo
Comecei errado
Sei que não sou esperto
Talvez... inconformado

Obrigado por me dizer
O que não quis escutar
Mas não esqueça que você
Também não sabe falar

Agora olho pra mim
E tento colher
O melhor do jardim
Do meu alvorecer

Vejo as nuvens passarem
Sobre as páginas de um caderno
E leio os poetas escreverem
O amor é eterno

Fernando Marques

Seja Amável


Seja amável

Olha meu amor
Como é linda a natureza
E entenda o valor
De toda sua beleza

Veja aquele passarinho
No céu a brincar
Ele traça o seu próprio caminho
Pois nada o impede de voar

Olhe pro chão
E veja a formiga operária trabalhar
Pois na sua labuta ela garante o pão
Pra sua colônia alimentar

Olhe pro mar
E saiba que ali vive
Fábulas de encantar
Que cada pescador revive

Veja o beija-flor
Voando sem sair do lugar
Pois com seu beijo ele acompanha a flor
Que vive no vento a bailar

Tudo isso é obra de um Criador
Que doou a sua Criação
Parte do amor
Extraído do seu coração

Seja palpável...
Ou imaginário...
Seja amável...
Com todo esse cenário

Fernando Marques

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Inspirações...


Inspirações...

Vou ao céu
Depois de uma noite de amor
E acordo me unindo ao papel
Com a cólera de um compositor

Saio do sonho
E mergulho na inspiração
Pois eu só componho
Pra quem escuta meu coração

Devo ao sexo feminino
Toda a minha verve
Assim faço o meu destino
E que cada poesia o preserve

Escrevi muitas vezes iludido
Com um figurado amor
Muitas vezes acordei “esquecido”
Por não suportar o sol com seu calor

Tento segurar a vontade
De parar de escrever
Mas seria uma contrariedade
Do que me dar prazer

Dos sonhos que sonho
Das mulheres que o tempo levou
Eu sou o maior sonho
Do homem que ficou

Cada parte de mim
Representa alguém
Como as rosas de um jardim
Perfumando um harém

Não tenho como fugir
De cada inspiração sentida
Pois é impossível dirimir
Qual delas é a mais querida

Fernando Marques

Canções Pro Nosso Mundo


Canções pro nosso mundo

Fico dedilhando meu violão
Dia após dia...
Tentando compor uma canção
Que devolva ao mundo a plena alegria

Penso no meu amor
Que está me ouvindo
E por onde o meu canto for
Sei que ele estará nos sentindo

Mesmo assim ainda tento
Compor uma única canção
Que expresse o sublime sentimento
Do meu melódico coração

De todas as canções
Que pro nosso mundo eu criei
Falei de minhas emoções
Inúmeras que nem contei

Fernando Marques

Coisas de Mulher ou Simplesmente Vaidade?


Coisas de mulher ou simplesmente vaidade?

Às vezes me pergunto:
Pra que tanto você se arruma?
Pois contigo o meu assunto
Sempre te desarruma

Pra que se maquiar?
Não consigo entender
Pois é no teu acordar
Que mais admiro você

Você troca roupa
Troca enfeites
Mas nunca se poupa
Dos meus deleites

De longe sinto teu cheiro
Mas você não consegue perceber
Que antes de tudo e primeiro
Sou eu quem perfuma você

Fernando marques

Pixinguinha, Chico Buarque, Noel Rosa, Luís Fernando Veríssimo, Tom Jobim, Vinícius de Moraes....

Loading...