segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Cor de Rosa

Cor de Rosa

Ela é cheio de encantos:
Desabrocha com o dia
Se banha no orvalho
Faz aos amantes, companhia

É feito bailarina:
Dança sobre a prosa e a poesia
Igual moça imaculada
Se contorcendo na ventania

Tem forma singela
Insinua o pecado
Mas, existe em si espinhos
No seu corpo adornado

Fernando Marques

Adágio

Adágio

Aí, vem a inspiração
Rente uma parede nua:
Poesias sem janelas
De costas pra rua

Fernando Marques

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

A Galope

A Galope

Coração sem porteira
Carrego no peito
Nos alforjes uma boa pinga
E muito amor desfeito

Fernando Marques

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Horizonte

Horizonte

E quando a saudade bater
Naquele momento desprotegido
Seja numa noite de chuva ou tarde ensolarada
Faça ao Amor um novo pedido

Peça liberdade ao seu coração
Peça também a calma necessária
Que com o tempo faz sumir
Qualquer dor involuntária

Fernando Marques

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Sirius

Sirius

E quando meus lábios
Tocarem tua boca salivante e sedenta
E entre grandes e pequenos lábios
Dar-te a tua sentença

Parte de mim
Te fará de chão
Outra parte
Virará constelação.

Fernando Marques

domingo, 20 de março de 2016

Vá na Fé

Vá na Fé

Um gole de café
Sinal de cruz e oração
Parte agora meu vaqueiro
Aboiar teu coração

Tange pra longe tua dor
Deixa ela na caatinga
E pra cada espinho na jornada
Um bom gole de pinga

Quando chegar a calada da noite
Feche os olhos pra solidão
E vá na fé que a vida te ensina
A guiar teu coração.

Fernando Marques

A Tela

A Tela

Se o mundo explodisse em cores
E o Bom Deus, Majestoso fosse
E cobrir-se de branco telas antigas
Uma nota de cor surgiria
Uma nova rima de amor nasceria

Fernando Marques

terça-feira, 15 de março de 2016

Alvor

Alvor

O amanhecer clareia
A noite inclara
Revista no silêncio
De um cinema mudo

Fernando Marques

Ledo

Ledo

Por seu desapego
Tive que partir
Mas detesto confessar
Que parti em pedaços

O tempo foi passando...
E você mais viva ainda
As noites esfriaram
Entre dias fumegantes

Imaginei formas de te rever
Bem longe do meu peito
E não mais escutar a voz
Que lhe diz: eu te amo

Tentando assim enganar
Ou até mesmo jurar verdade
Que a falta que vem de você
Posso sorrindo suportar

Fernando Marques

Quiçá

Quiçá

Existe algo a mais do que beleza
Que tanto me fascina
Ouço meu coração
Ele recita teu nome

E entre lamentos e desejos
Já não me vejo livre
Pois sempre houve dias
Que a beijei sem fingir

Trovões...
Não se assuste
Sempre estarei com você
Acredite!

Teu cheiro já não me toca
Só me toca a saudade
E o inverno que se vinga
Impede o sol de sair.

Fernando Marques

Pixinguinha, Chico Buarque, Noel Rosa, Luís Fernando Veríssimo, Tom Jobim, Vinícius de Moraes....

Loading...