terça-feira, 25 de agosto de 2009

Das Vantagens de ser Bobo - Clarice Lispector


Das Vantagens de ser Bobo - Clarice Lispector


O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir, tocar no mundo.

O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas.
Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde:
"Estou fazendo, estou pensando”.

Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída
porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza,
e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia.

O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem.
Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias
que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem
como simples pessoas humanas.

O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver.
O bobo parece nunca ter tido vez. No entanto, muitas vezes,
o bobo é um Dostoievski.

Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo,
confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado
de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso
porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho
sem vê-lo sequer.

Resultado: não funciona.

Chamado um técnico, a opinião deste era que o aparelho estava tão estragado
que o concerto seria caríssimo: mais vale comprar outro.

Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e, portanto estar tranqüilo.

Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado.
O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu.

Aviso: não confundir bobos com burros.

Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera.
É uma das tristezas que o bobo não prevê.
César terminou dizendo a célebre frase:
"Até tu, Brutus?"

Bobo não reclama. Em compensação, como exclama!

Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu.

Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz.

O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos.

Os espertos ganham dos outros. Em compensação, os bobos ganham a vida.

Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie.
Aliás,não se importam que saibam que eles sabem.

Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas
(não confundir bobo com burro,com tolo, com fútil).

Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem
por não nascer em Minas!

Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas.

É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca.

É que só o bobo é capaz de excesso de amor.

E só o amor faz o bobo.

Clarice Lispector

sábado, 22 de agosto de 2009

Luz e poesia pra um coração sofrido


Luz e poesia pra um coração sofrido

Hoje eu disfarço
Fingindo estar completo
Nego não sentir tua ausência
Mas confesso que a falta do teu amor
Tem se tornado uma grande penitência

Tento andar às vezes
De cabeça firme e erguida
Sem precisar olhar pro chão
Onde muitas passadas outrora deixei
Caminhos esses guiados pela sua mão

Juro que tento
Na solidão do meu vazio
Por ti nunca mais nessa vida chorar
Deus sabe o quanto eu tento isso transparecer
Mas esse sentimento que sinto não quer me abandonar

Hoje eu tento escrever
Sem deixar a saudade me dominar
Mas ela guia o meu coração numa poesia
Que não consigo nem suplantar nem medir
O tormento de sentir essa falta que me agonia

De tanto olhar pro infinito
Cheguei muitas estrelas contar
E lembrava que muitas delas já tinham morrido
Mas a luz e o poder de encantar ainda estavam presentes
Pois sempre existirá luz e poesia pra um coração sofrido.

Fernando Marques

Inseparável


Inseparável

Eu tento me separar de você
Mas é difícil separar
O que de você pertence
E o que de mim vai restar

Fernando Marques

Tive que abri-lo


Tive que abri-lo

Abri meu coração
Até ele ultrapassar
Toda a razão
Que vive a nos nortear

Abri meu coração
Pensando que ele era limitado
Mais juntei sentimentos numa adição
Que me mostrou o quanto ele é abastardo

Abri meu coração
Pra um sonho bonito
Que surgiu feito um clarão
Como um raio de sol infinito

Abri meu coração
Como abrimos pro Criador
E escutando uma canção
Quis ser dele o seu doador

Abri meu coração
Sem saber o que nele ia encontrar
E nele encontrei toda a razão
Que me fazia te amar

Fernando Marques

A Resposta


A Resposta

Olho pro céu e pergunto:
Onde ela está?
E fico esperando uma resposta
Que insiste em se ausentar

Sinto as lágrimas dos meus olhos
Escorrendo por um corpo vazio
É tamanha essa ausência
Que me dar até calafrio

Grito...como grito
Perguntando onde você está
Mas não tenho a resposta
Que faça meu coração se calar

A resposta não chega
Pois não existe um mensageiro
Que encontre um coração
Que perdeu seu paradeiro

Mas tenho a esperança
De saber como você está
Mas não tenho a resposta
Que grito pra encontrar

Fernando Marques

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Nietzsche


"Será que alguém, ao final do século XIX, tem uma idéia clara daquilo a que os poetas das eras fortes chamaram pelo nome de INSPIRAÇÃO?

Se não vou descreve-la:

Repentinamente, com certeza e sutilileza indescritível, algo se torna visível, audível algo que nos sacode em nossas últimas profundezas e nos lança por terra... a gente não busca, ouve, não pede ou dá. Aceita. Como um relâmpago , um pensamento se ilumina de forma irresistível, sem hesitações, com respeito a sua forma, eu nunca tive qualquer escolha! Tudo acontece de forma involuntária no mais alto grau, mas como uma onda enorme de liberdade, um sentimento de algo absoluto, de poder , de divindade." ( Nietzsche)

sábado, 15 de agosto de 2009

Pra viver!


Pra viver!

Pra não morrer de amor
Tive que amar mais
Pra não sentir dor
Tive de procurar minha paz

Pra não morrer de saudade
Tive que outro sorriso amar
Pra não ter medo da felicidade
Tive que não ter medo de chorar

Pra não deixar de escrever
Tive que prender as poesias
E por não me conter
Faço nelas minhas fantasias

Fernando Marques

Ampulheta


Ampulheta

O tempo é incerto
Cheio de incertezas
Mas tenho Deus por perto
Pra depurar minhas impurezas

Na vida vou aprendendo
A amar e sofrer
E sempre me esquecendo
Que um dia vou morrer

Não quero pensar na morte
Tenho muito o que viver
Acredito que a minha sorte
Eu mesmo irei fazer

Dias atrás
vi uma folha caindo
Mas logo atrás
Vinha uma flor sorrindo

Pra frente é que se anda
Usado ditado
A sua vida você comanda
Estais a isso fadado

Mas se queres ser
Um barco sem remo nem direção
Você pode se perder
Numa vida de ilusão

Lembre-se da passagem
Ampulheta da vida
E antes da última viagem
Não deixe sua pessoa ser esquecida

Fernando Marques

Seja sensível


Seja sensível

Escute as ondas do mar
Que rodeiam a ilha
Deixe a brisa te guiar
Dizendo: que maravilha

Acenda uma vela
Faça uma oração
E veja o barquinho a vela
Enfrentando o boqueirão

Despeje no tapete do mar
Todos os seus desejos
E deixe a vela te guiar
Recebendo das ondas seus beijos

Escreva sobre a areia
Todos os seus pedidos
E quem sabe pela sereia
Eles serão atendidos

Abra os braços pro céu
Agradeça a Deus
Jogue os problemas ao leu
Viva os sonhos teus

Peça paz
Pra nossa humanidade
Sabendo que você é capaz
De contribuir com essa necessidade

Procure seu amor
Chame-a pra dançar
Dizendo: vem meu amor
Quero a natureza te apresentar

Abrace-a com vontade
Estabeleça essa união
Beije-a de verdade
Sentindo seu coração

Lembre-se da vela
Da sua oração
E diga pra ela:
És a dona do meu coração!


Fernando Marques

Videira


Videira

Fruto do pecado
Nesse corpo de menina
Deixe o pudor de lado
Deixa que minha volúpia te ensina

Vem com teu corpo me presentear
Mexer com minha loucura
Pois quando o sol raiar
Teu semblante será só doçura

Se for o caso
Eu me dou à você
E até caso
Só pelo prazer de te ter

Mas por favor
Mate essa vontade verdadeira
Fantasia de um amor
Em transformar-te em videira

Fernando Marques

Passo...compasso


Passo...compasso


Faço um sambinha delicado
Feito gozo de mulher
Daqueles que não temos pressa
Leve o tempo que quiser

Faço no corpo da composição
Uma doce melodia
Que arrepia a pele de tesão
Que nos aquece e nos esfria

A cada compasso desse samba
Vou nele mergulhar
Até ficar com a perna bamba
Só de tanto me esbaldar

Passo...compasso
Ritmam meu movimento
E no salão extravaso
Até perder o firmamento


Fernando Marques

Nossa natureza


Nossa natureza

Veja caro amigo
A grandeza da natureza
Que nos serve de abrigo
Que nos serve de beleza

Solte os sentidos
Contidos no teu ser
Desejos esquecidos
A tua alegria de viver

Entenda os caminhos
Trilhados a luz do luar
Muitos terão espinhos
Mas é a natureza a te ensinar

Sente um dia
Na beira do mar
E veja que é o vento que guia
As ondas no seu bailar

Estenda os fenômenos naturais
Da relação dos elementos
Sendo você o cais
De todos os seus sentimentos

Não narro à natureza
Na forma vegetal ou animal
Mas sim a incerteza
Existente no homem funcional

Dentro da tua estrutura física
Existem sentimentos
Desordem psíquica
E muitos enfrentamentos

Então pare
Aconselhe-se com você
E que você sempre encare
Até o que não consegues ver

Fernando Marques

Um dia chamou-se amor, outros dias coração


Um dia chamou-se amor, outros dias coração

Sentada a beira da calçada
A dor na sua solidão
Lembrando da compassada
Que tinha seu coração

Tristes eram os olhos da dor
Perdida na sua insignificância
Rugas de temor
Pela dor da sua ignorância

A dor tinha alegria
Pois era preciso ter
Equilibrando a metria
Que ninguém consegue ver

Lembro que essa mesma dor
Lembrando de tempos que não voltarão
Um dia chamou-se amor
Outros dias coração.

Fernando Marques

Ator sem direção


Ator sem direção

Queria compor
Memoráveis poesias
Que falassem de amor
E trouxessem alegrias

Mas sou um ator
Que está sem direção
Às vezes sou um impostor
Negando ter coração

Vivo representando
Que aprendi escrever
Mas vivo soletrando
O que não quero dizer

Tento entender
Porque não contenho meus pensamentos
Que me empurram a escrever
Com os mais sublimes sentimentos

Aprendi que na dor
Nós nos reconhecemos
E no amor
Nós nos envaidecemos

Entendo agora
Armadilhas do destino
Que se apresentam a toda hora
Desde os tempos de menino

Mas ainda tento compor
Inspirado na mais pura inspiração
Onde o amor
É a minha direção.

Fernando Marques

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

A pessoa errada - Luís Fernando Veríssimo


Eu e você!


Eu e você!

Somos feitos de sentimentos
Parte alegria, parte dor
Somos seres em construção
Sempre a procurar o amor

Somos a nossa própria tristeza
Quando desejamos ficar na melancolia
Somos o nosso próprio palhaço
Que nos faz soluçar de alegria

Somos os espinhos de uma roseira
Somos a beleza de uma flor
Somos a cópia da natureza
Daquele a quem chamamos de Senhor

Somos uma caixa aberta
Embora pareçamos fechados
Mas somente cada um de nós
Conhece bem seus próprios pecados

Somos e vivemos num estado de construção
Às vezes é doído aprender a viver
Mas somos tão tolos e fortes
Que acreditamos que sempre iremos vencer

Somos nossa própria interrogação
Quando não conseguimos decidir
Quais caminhos na vida tomar
Ou se amanhã iremos chorar ou sorrir

Somos um grande vazio
Que necessita de preenchimentos
Preenchimentos estes intangíveis
Chamados: sentimentos

Fernando Marques

O mundo é um moinho - Cartola

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Indefinível


Indefinível

O amor é indefinível
É feito chuva no verão
E como se as pessoas já se conhecessem
Num simples cruzamento da visão

É como o mel que ainda não provamos
È como o sorriso que damos a vontade
Mais que um conceito indefinível
Acreditamos ser ele a chave da felicidade

É como conversar com as rosas
Mesmo sem elas falarem
É como ficar a sorrir de felicidade
Deixando as lágrimas rolarem

O amor...
Antes mesmo de a gente o conhecer
Nós já choramos por sua ausência
É diagnosticar uma dor sem parecer

E bem lá dentro de nós
Escutamos ecoadamente a sua voz
E às vezes um coração frio e seco
Transforma-se no nosso pior algoz

Não culpem relacionamentos desfeitos
Pelas dores da alma que carregamos
Pois em muitas uniões conseguimos ver
Que de amor por todo lado nos cercamos

Culpem aquele bom dia que não foi dito
Culpem aquela noite que esquecemos de rezar
Culpem aquele relacionamento de novela
Que na vida resolvemos adotar

Mas todos os dias olhe pro céu e agradeça
Por seres fruto de um amor Maior
E sempre de cabeça erguida diga a si mesmo:
Eu sei que nunca na vida estarei só

O amor...
Às vezes se apresenta numa nota triste
De canções nunca ouvidas
E que o coração a elas não resiste

Acredite...
Não tenha pressa de encontrar um amor
É feito tentar prender o vento
Pois o vento não possui um legislador

Arrume a casa do seu coração
Deixe-a livre de qualquer ressentimento
Pra quando o amor for visitá-la
Você a encher com esse sentimento

Mas nunca, repetindo, se esqueça
De todos os dias ao Senhor agradecer
Pois nessa vida tão gradamente por Ele oferecida
Basta esperar o momento pro amor nos envolver.

Somos frutos do amor
E as sementes que o faz brotar
Somos partes de um indefinível universo
Que vive a se moldar

Amor...
Quando você se apresentar
Venha me possuir feito o vento
Pois vivo e viverei sempre a te esperar

Fernando Marques

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Somente o amor


Somente o amor

Um beijo não significa
Um contrato para a eternidade
O sexo muito menos
A porta para a felicidade

Mãos dadas
Não significam união
Corpos abraçados
Não unem coração

Somente o amor
Na sua sublime identidade
Pode nos abrir
A porta para a felicidade

Somente o amor
Solidifica uma união
Onde corações constroem
Um só coração

Fernando Marques

Meu queridinho


Meu queridinho

Toda mulher
Mascara seu pudor
Elas tentam não ser “uma qualquer”
E juram não conhecer um vibrador

Algumas entre si se amam
Outras tenho até medo de falar
O tanto que seus corpos profanam
Quando deixam sua volúpia falar

As de seios maiores
Seus próprios mamilos sugam
As de seios menores
Sua própria saliva os inundam

Algumas têm uns ursinhos de pelúcia
Que se pudessem falar
Falariam com propriedades da astúcia
De uma mulher quando quer gozar

Elas conhecem bem
Certos dedinhos
Que as tocam como ninguém
Por todos seus ribeirinhos

E quando andam de bicicleta
Fico corado só em pensar
Na sutileza da mulher atleta
Que não tem pressa em pedalar

Muitas vezes tive o prazer
De vê uma mulher se masturbar
Mas digo pra você
É lindo de se admirar

Conheço umas “santinhas”
Que na cama sabem pecar
Conheço também umas “atiradinhas”
Que no sexo ficam a desejar

Eu poderia continuar a falar
Mas tenho que reconhecer
Que elas sabem se virar
Por que...

Elas sempre encontram
Um novo brinquedinho
E a eles chamam:
“Meu queridinho”

Fernando Marques

Paridade


Paridade

Dizem que a mulher
Ama com o coração
E o que o homem quer
Chama-se excitação

Embora sejam partes de uma verdade
Toda mulher também quer excitação
Então encontramos a paridade
Pois todo homem também tem coração


Fernando Marques

Diz...


Diz...

Diz que não tem ninguém
Diz que sonha com o amor
Diz que todo o teu querer bem
Está à espera de um senhor

Fernando Marques

Volta!


Volta!

De tão inconseqüente
Permiti você partir
E hoje meu coração sente
Que longe de você não irá sorrir

Hoje acordo sozinho
Lembrando do teu sorriso
E o nosso ninho
Já não se chama paraíso

Eu não conseguia entender
Antes de você me deixar
Que precisei teu amor perder
Pra saber que sempre iria te amar

Hoje converso com a solidão
Perguntando onde você estar
Já nem sinto o meu coração
Que resolveu de mim se ausentar

Um completo vazio
Tomou conta do meu peito
Já não sinto calor nem frio
Mas ter te pedido eu não aceito

Você levou minha alegria
Mas sei que tive o teu amor
Mas eu não tive a maestria
De todo dia cativar teu amor

Todos os dias em oração
Eu peço pra você voltar
E que dentro do teu coração
Eu ainda possa estar

Aprendi na tua ausência
O significado da dor
E como é viver em penitência
Longe do teu amor

Fernando Marques

Pixinguinha, Chico Buarque, Noel Rosa, Luís Fernando Veríssimo, Tom Jobim, Vinícius de Moraes....

Loading...