sexta-feira, 4 de junho de 2010

Aprendendo


Aprendendo

No meu tempo de escola
Eu só ficava a moldar
De que forma seria a cola
Que me fizesse passar

Eu só vivia a imaginar
O formato da calcinha
Quando via passar
A menina da carteira vizinha

Eu olhava minhas professoras
Com olhar discente
Mas eram aterradoras
Minhas visões indecentes

Sempre no recreio
Eu ia brechar
Sem receio
Minha vizinha se “maquiar”

Tinha na parede um buraquinho
Que engenhosamente criei
De lá eu voltava fraquinho
Quanto lá eu suei...

Tinha uma certa professora
Motivo da minha constante fraqueza
Ela era avassaladora
Com sua voluptuosa beleza

Ela me lembrava
Da égua da fazenda
Que eu andava
Como a professora era estupenda!...

Eu tinha visão de raio x
Essa professora eu despia
Ela era o chamariz
Pras melodias que no banheiro vertia

Essa é apenas uma leitura
Da minha adolescência
Onde essa criatura
Era pura inocência

Fernando Marques

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pixinguinha, Chico Buarque, Noel Rosa, Luís Fernando Veríssimo, Tom Jobim, Vinícius de Moraes....

Loading...